segunda-feira, 25 de maio de 2020

Claro abre plataforma de cursos on-line voltados para o Enem a clientes de celular pré-pago


A Claro, empresa do grupo América Móvil, anuncia nesta segunda-feira, uma parceria com o portal de educação on-line Descomplica que pode beneficiar estudantes de todo o país que estão com aulas suspensas e têm seus estudos para o Enem prejudicados.

A operadora decidiu oferecer a todos os seus 26,8 milhões de clientes pré-pagos tenham acesso a cursos educacionais da start-up educacional voltados para exame nacional que dá acesso a universidades públicas de forma gratuita.

A suspensão das aulas em todo o país por causa da pandemia do novo coronavírus levantou um debate sobre o adiamento do exame este ano por causa da assimetria entre alunos de escolas públicas e privadas no acesso de conteúdo on-line para manter o aprendizado em casa.  O governo já admitiu o adiamento, mas ainda não definiu uma data.
Autorregulamentação: 

Governo prepara novas regras para combater a pirataria na internet Paulo Cesar Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo América Móvil, proprietária da Claro,

diz que a iniciativa veio da constatação de que grande parte da população do país não tem acesso à internet em casa.

"A crise atual vai aumentar a exclusão digital. Por isso, é preciso um esforço para garantir acesso a quem mais precisa. Está difícil fazer qualquer tipo de previsão (sobre os rumos da crise). Os relatórios dos bancos indicam que não há uniformidade. É uma bola de cristal que não temos. O cenário é nebuloso"— disse Paulo Cesar.

A parceria da Claro com o Descomplica na área de educação foi integrada ao planejamento de investimentos da companhia, que prevê investimentos de R$ 30 bilhões em três anos. 

Paulo Cesar diz que os investimentos da Claro estão mantidos apesar de diversos setores da economia estarem retraindo suas atividades por conta da crise do coronavírus. Novos produtos: Quarentena aquece compras de laptops e celulares "Sentimos um aumento de até 50% na demanda por internet. Mas a gente sente se os demais setores enfrentam problemas. Estamos atentos ao que está acontecendo" — afirmou Paulo Cesar.

Nenhum comentário: