segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Amante morto junto com esposa de PM era evangélico e estava prestes a casar



William Santos trabalhava junto com Bruna Lícia na Equipar, empresa da área de eventos, e neste sábado, 25, foram assassinados pelo policial militar Carlos Eduardo, marido dela. Os corpos foram encontrados no quarto do apartamento do pai dela, sem roupas.

Willian era natural da cidade de Pastos Bons, estudante de Ciências Contábeis, na UNDB, em São Luís, frequentava a Assembleia de Deus do 1º Conjunto da Cohab, tinha uma noiva e estava prestes e se casar.

A noiva se chama Narayelle Lira, também é estudante de Ciências Contábeis, na UNDB e é promotora de eventos.

Profissionais da área de eventos contam que ambos já mantinham um relacionamento há alguns meses.

Entenda o caso

Na manhã deste sábado, 25, o policial militar Carlos Eduardo Nunes, 34, foi preso, após matar a própria esposa, identificada como Bruna Lícia,22, e o amante dela, que não teve a identidade revelada, em sua residência. O caso aconteceu no Condomínio Pacífico I, no Bairro Vicente Fialho em São Luís no Maranhão.

Carlos conseguiu o flagrante após chegar mais cedo do trabalho, o casal de amante estava na cama, despidos e no ato sexual.

Bruna foi atingida por dois disparos e o amante foi atingido por 5 disparos na região da cabeça.

Segundo informações de amigos, durante o curso de formação o PM sempre apresentou um comportamento muito equilibrado e tranquilo.

Nas redes sociais, amigos e familiares de Bruna lamentaram o acontecido.

Nenhum comentário: