terça-feira, 23 de julho de 2019

Após polêmica, Bolsonaro visita o Nordeste nesta terça


Com viagem prevista para a Bahia nesta terça-feira (23), onde participará da inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, neste domingo (21), que não teme ataques e protestos, como reação aos comentários feitos na sexta-feira (19) em relação a governadores do Nordeste. Bolsonaro disse que vai a “qualquer lugar do território brasileiro”.
“A Bahia é Brasil. Sem problemas. Sou amigo do Nordeste, poxa. Se eu tenho um problema no Sul, não se fala na Região Sul, Centro-Oeste e Norte. Por que essa história? Vocês mesmos da mídia querem separar o Nordeste do Brasil. O Nordeste é Brasil, é minha terra e eu ando em qualquer lugar do território brasileiro”, disse ele, ao retornar ao Palácio da Alvorada após participar de culto evangélico e de almoçar em uma galeteria de Brasília.
Ao deixar o restaurante, Bolsonaro parou para tirar fotos com simpatizantes e perguntou: “Tem algum nordestino ofendido aí?”. Pessoas próximas responderam negativamente.
Em conversa com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), na sexta, Bolsonaro orientou “não dar nada” ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). O áudio foi captado pela TV Brasil, emissora pública ligada ao governo. A orientação aconteceu pouco antes do café da manhã com jornalistas estrangeiros no Planalto.
Bolsonaro também foi acusado por Flávio Dino de ter usado expressão pejorativa para se referir ao Nordeste. Ele falou que “daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão”. O termo “paraíba” é uma forma usada, principalmente no Rio de Janeiro, para se referir a migrantes nordestinos. No Twitter, o governador do Maranhão escreveu que Bolsonaro deveria se desculpar pela frase. “Mas o ódio impede um gesto de respeito e grandeza”.
Questionado se poderia pedir desculpa, Bolsonaro se irritou. “Quem ficou ofendido? Quem?”, respondeu. Sobre uma visita ao Maranhão, afirmou que, se tiver um evento, iria. “O governo que mais dispensou recursos para o Nordeste fui eu até agora”, garantiu.
O Nordeste foi a única região do País em que Bolsonaro saiu derrotado no segundo turno das eleições de 2018. O então candidato do PT à Presidência República, Fernando Haddad, registrou 69,7% dos votos válidos, enquanto o pesselista teve 30,3% dos votos válidos.
Desde que tomou posse, em 1º de janeiro, Bolsonaro só esteve no Nordeste uma única vez. Foi no dia 24 de maio, quando o presidente veio a Pernambuco participar de reunião do Conselho Deliberativo (Condel) da Sudene, no Recife, e entregar habitacionais financiados pelo Minha Casa Minha Vida, em Petrolina.

Nenhum comentário: