Em Pernambuco, no mês de Outubro de 2016, foram registrados 451 homicídios. Este é considerado o pior resultado para um mês desde o lança...

Pernambuco tem pior mês do Pacto pela Vida

sexta-feira, novembro 11, 2016 Marcelo Santa Cruz 0 Comentários



Resultado de imagem para violencia pernambucoEm Pernambuco, no mês de Outubro de 2016, foram registrados 451 homicídios. Este é considerado o pior resultado para um mês desde o lançamento do Pacto pela Vida, em 2007. De acordo com a Secretaria de Defesa Social, o total do mês passado eleva para 3.600 o número de assassinatos acumulados no ano, com crescimento no número de crimes violentos letais intencionais pelo terceiro ano consecutivo.
 
“Nos últimos três anos, regredimos quase uma década no combate à criminalidade. O Pacto pela Vida entrou em colapso e a Secretaria de Defesa Social e o Governo do Estado não conseguem mais dar respostas à demanda por segurança da sociedade pernambucana”, avaliou o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).
 
Diante do grave quadro de crescimento da violência, será realizada, na Assembleia Legislativa de Pernambuco, uma audiência pública para discutir o aumento da criminalidade e os rumos do programa estadual de combate ao crime. A audiência será realizada pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, em data ainda a ser marcada.
 
Presidente da Comissão de Cidadania, o deputado Edilson Silva (Psol) destacou que a violência no Estado, além dos homicídios, cresce também em outras áreas, como nos crimes contra o patrimônio e investidas contra bancos. “Não há estado em situação tão grave de crescimento generalizado da criminalidade como Pernambuco. A redução de apreensão de armas em 24%, enquanto estados como Alagoas e Ceará aumentaram as apreensões em 40% e 70%, ajuda a entender porque temos resultados diferentes.”
 
A Bancada de Oposição informou que vai procurar o Tribunal de Justiça de Pernambuco, o Ministério Público do Estado, a Ordem dos Advogados do Brasil e o Ministério da Defesa para discutir a contribuição de cada um no combate à criminalidade.
 

0 comentários: